Mapa do Site

:: Notícia



Campeão corre mais de 200km no deserto

Carioca completa prova com o segundo melhor tempo da história da competição.
Atleta conta ao Correio os dramas que viveu durante o desafio nos EUA

Ananda Rope do Correio Braziliense

A umidade relativa do ar estava entre 1% e 2%. A temperatura chegava a infernais 57ºC. O cenário árido e o sol forte do deserto do Vale da Morte, na Califórnia, não abalaram o desejo de superação de Marco Aurélio Farinazzo, 41 anos, vencedor da 32ª Badwater Ultramarathon. Em 14 de julho, o subtenente do Exército brasileiro correu os 217km em 23h39min18s.
O carioca, lotado no Hospital da Guarnição de Juiz de Fora, no interior mineiro, esteve em Brasília e relatou ao Correio as dificuldades que enfrentou para completar o desafio.
A tensão da ultramaratona começa ainda na seleção. Dos 4.500 inscritos de 47 países, somente 90 (80 selecionados e 10 convidados pela organização), de 12 países, foram aceitos. Além de Farinazzo, outros cinco brasileiros — Raphael Bonatto, Ariovaldo Branco, Mauro Chasilew, Cas Câmara e Sebastião Daguia — representaram o país na disputa reconhecida mundialmente como a “corrida mais dura do mundo”. Com início na parte mais baixa da América do Norte (85m abaixo do nível do mar), a linha de chegada, em Whitney Portal, fica na área mais alta do continente (2.533m de altitude).
Passado o período da peneira, Farinazzo arrumou as malas e foi para o Condado de Inyo, Califórnia, 15 dias antes da prova. A saudade da família e a ansiedade não abalaram os nervos do militar. Na noite anterior à prova, ele preparou um mapa com o percurso, frases e previsão do horário de passagem pelos principais pontos. Além disso, aproveitou a falta de sono para analisar a temperatura e a umidade do dia e levantar informações sobre seus adversários.
O trajeto é duro e poucos resistem. Para correr do ponto mais baixo ao mais alto dos EUA, cada atleta é acompanhado durante todo o percurso por uma equipe de apoio com, no mínimo, um carro e três pessoas. “De uma em uma hora um dos rapazes borrifava água em mim para aliviar o calor. Mas a sensação de alívio não durava muito. Ele me encharcava com água e em menos de dois minutos já estava seco novamente”, relatou.

Pressão
Na metade da prova, Farinazzo estava à frente. Ele percebeu que um de seus adversários, o mexicano Oswaldo Lopez, se aproximava. “Quando eu parava ele corria mais. Fui ao banheiro e parei só duas vezes: uma para comer (250g de ravióli sem molho) e outra para massagem nas pernas. A equipe de apoio me mantinha informado. Perto da chegada, me disseram que um deles se aproximava. Logo pensei no mexicano e comecei a chorar. A pressão psicológica é maior que a dor e o cansaço. Peguei meu mapa, li minhas frases de incentivo e fui”, recordou o campeão, que cruzou a linha de chegada com uma folga de 59 minutos.

Perfil


Nome: Marco Aurélio Farinazzo
Idade: 41 anos (28/03/1968)
Altura: 1,74m
Peso: 60 kg
Percentual de gordura: entre 3 e 4%
Profissão: Militar – subtenente do Exército
Começo: há 10 anos, como corredor de aventura. “Como sempre me destaquei por conta do meu trakking (passo), me incentivaram a competir nas ultramaratonas. Tentei e logo na primeira bati o recorde”

 

Títulos:
» Campeão recordista dos 84km (em 8h30min) da Desafio Praias e Trilhas de Florianópolis (SC) (2006)
» Campeão recordista dos 217km (em 26h46min) da BR-135 (Serra da Cantareira, em Minhas Gerais) (2009)
» Campeão dos 217km (em 23h39min) da Badwater Ultramarathon, no Deserto do Vale da Morte, na Califórnia (EUA - 2009)

TAGS:
Vencedor da ultramaratona Badwater recebe os cumprimentos do Comandante do Exército!
O vencedor é um militar do Exército Brasileiro e trabalha em Juiz de Fora!
Resultados do Campeão ao longo da Badwater (tempos parciais)
Fotos do percurso e da Chegada do Campeão
Brasileiro vence a Ultramaratona BADWATER na Califórnia (EEUU)

Fonte: Correio Braziliense - 9 Ago 2009

Edição: CORCE on line - 9Ago09|1100

.:: Patrocinadores ::.
CORCE - Corredores de Rua do Ceará - ©2007 - Todos os Direitos Reservados